Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MUSICPORTUGAL

APOIAMOS O TALENTO NACIONAL! ūüáĶūüáĻ

13.06.18

"Joga Gostoso"... paródia de apoio à seleção nacional para o Mundial 2018


Tiago Ferreira

O youtuber portugu√™s¬†D4rkFrame¬†criou uma¬†m√ļsica¬†de apoio √† selec√ß√£o nacional para o Fifa World Cup 2018: ¬ęEsta √© a nossa M√öSICA /¬†PAR√ďDIA¬†de apoio √† sele√ß√£o nacional portuguesa de futebol para o MUNDIAL 2018! Espero que gostem e vamos todos torcer por Portugal.¬Ľ

 

A par√≥dia tem como "inspira√ß√£o" a m√ļsica "Faz Gostoso" da Blaya. Chama-se "Joga Gostoso", e podes ouvi-la aqui:

 

 

jogagostoso.png

13.06.18

Festival Matosinhos em Jazz em Julho - M√°rio Laginha, Cristina Branco, Oficina Arara, AKACorleone entre os artistas que comp√Ķem cartaz integral


Tiago Ferreira

O¬†Festival Matosinhos em Jazz, que¬†decorre todos os s√°bados e domingos de julho a partir das 18h, recebe¬†M√°rio Laginha Trio,¬†o grupo Lokomotiv,¬†Cristina Branco¬†e¬†os artistas Oficina Arara¬†e¬†AKACorelone. Estes s√£o alguns dos nomes que comp√Ķem o cartaz do festival que acontece no¬†Coreto,¬†junto √† C√Ęmara Municipal.

 

O jazz e as suas margens mais extensas constituem parte primordial deste festival que decorre em Julho. Projectos como a revisita√ß√£o aos cl√°ssicos do jazz cantado por¬†Elas e o Jazz, o conjunto de m√ļsicos¬†Coreto Porta Jazz, a dupla¬†Songbird¬†(Jo√£o Hasselberg e Luis Figueiredo), bem como o grupo que mistura integrantes do Canad√° e Congo (Jazzamboka) constituem o leque de artistas que sobe ao Coreto, sempre √†s 18h.

 


No Matosinhos em Jazz a m√ļsica funde-se com artes visuais e o desafio para apresenta√ß√£o de¬†obras in√©ditas de 4 artistas nacionais, tendo por base 4 capas de discos ic√≥nicos do jazz.¬†Oficina Arara,¬†AKACorleone,¬†Nash Does Work¬†e a dupla¬†Francisco Queimadela e Mariana Cal√≥¬†formam o quarteto que trabalham pe√ßas exclusivas que ficam expostas durante o m√™s de Julho, junto ao Coreto onde decorrem os espect√°culos.

 

Tamb√©m a palavra ganha preponder√Ęncia, e para a tarde do dia¬†7 de Julho (17h)¬†est√° marcado uma confer√™ncia/debate sob o des√≠gnio de ‚ÄúO Jazz Agora‚ÄĚ e nele participam figuras como o mentor da¬†Orquestra Jazz de Matosinhos,¬†Pedro Guedes, o programador do ic√≥nico¬†Maus H√°bitos (Luis Salgado), a import√Ęncia da r√°dio com¬†Joaquim Mota (Radio Nova),¬†Luis Figueiredo¬†(m√ļsico e produtor), e modera√ß√£o de¬†Helena Teixeira da Silva¬†(jornalista do JN).

 

Festival Matosinhos em Jazz em Julho.png

13.06.18

Plutonio - 3AM (Prod. Ratopera)


Tiago Ferreira

Nem com o pé partido eu chego em casa antes das 3 da madrugada

Bofias 't√£o confusos solteiro ou casado eu tenho 3 moradas

Eu tive 3 amantes mas ainda tou com a mesma namorada

Neg√≥cio eu fa√ßo longe do c√ļbico porque a zona t√° espigada

6 anos à cabeça aos 19 eu perei a advogada

E no dia do julgamento ela disse puto n√£o se passa nada

Nem beijei a tua Dama ainda lhe dei chuva dourada

Rap tuga t√° a evoluir mas n√£o se passa nada

Gira o disco e toca o memo tema

5 estrelas no meu emblema

Troquei microfone por algemas

Tou na rua com os mesmos problemas

Como a clara e tu ficas com a gema

Mais ação que filmes de cinema

Do 27 até ao Altice Arena

Gira o disco e toca o mesmo tema

Passei um mau bocado na inf√Ęncia

Agora n√£o se passa nada

Eu e ela tamos envolvidos

Mas n√£o se passa nada

E quando a gente passa dizem

O que é que se passa?

E n√£o se passa nada

O meu som passa na r√°dio

Carripana passa e n√£o se passa nada

Se o dinheiro e sujo

Ninguém quer saber

Venho de uma selva

Onde a lei é matar ou morrer

Violetas ou roxas

Eu n√£o quero saber

Get your money

My Nigga Nigga

Get your money

Rusga no cubico mas tranquilo nigga

N√£o se passa nada

Passei a madrugada na esquadra mas

N√£o se passa nada

Levei uns quantos tiros mas tou vivo porque

N√£o se passa nada

Dez quilos no cubico meia hora nigga

Sem caviar no prato

Com lama nos sapatos

Cresci na lei da selva

Mas n√£o sou bicho do mato

Vim do anonimato

N√£o sou de ir em boatos

Filho dos meus irm√£o

O meu pai só deixou retrato

O meu silêncio e caro

Porque falar e barato

O tempo nunca para

e eu paro pouco no meu quarto

Tou sempre ao pé das nove

Tipo dez menos um quarto

Quando eu fuder a tuga

O rap vai nascer Mulato

My Nigga eu sou da Cruz

E não é pelo crucifixo

Antes do 96

Eu tinha escutas no meu fixo

Tem muita cara nova nesse game

Que eu nem fixo

Quando falares de rap

P√Ķe Plutonio no prefixo

Agora somos muitos

Eram poucos no início

Antes do final da história

Muitos trocaram princípios

Mudei a minha história

Pra meu próprio benefício

Sangue l√°grimas suor

Sê bem-vindo ao "Sacrifício"

Não fiques assustado porque isto e só entrada

Almoço ajantarado com lagosta pra entrada

Nunca fui de sair muito tinha uns beefs à entrada

Mas a pala da fama agora eu trago uns 20 Niggaz à entrada

Se o dinheiro é sujo

Ninguém quer saber

Venho de uma selva

Onde a lei é matar ou morrer

Violetas ou roxas

Eu n√£o quero saber

Get your money

My Nigga Nigga

Get your money

Passei um mau bocado na inf√Ęncia

Agora n√£o se passa nada

 

 

plutonio3am.jpg

13.06.18

Dillaz - 1100 Cegonhas (Prod. Here's Johnny)


Tiago Ferreira

Mangas olham de lado

Porque eu fiz um portfólio sem ter óleo na lambreta

Aquilo que eu escrevia era piada

E se acabava a papelada

A escrivaninha estava escrita com a caneta

Eu tenho uma vizinha avariada

Passa a vida na noitada

N√£o se lembra se agarrou na branca ou preta

Estou a mandar o props

P'ro meu bruno o mais fininho

Que é tão fino que desaparecia se pisasse uma sarjeta

Vais dizer que é patrocínio que eu não compro, só me dão

Mas ando a ver uns ténis novos p'ra comprar e tu

'Tas agarrado ao tacho e 'tas abaixo do escal√£o

E a ver que tem um pénis essa tal de Marilu

'T√°s burro e n√£o te interas

'Tás à espera p'ra fumá-la

Tu és próximo a enrolá-la e a passá-la p'ro monsieur

Aponta bem no teu caderno

Nunca vai virar um rei da selva

Aquele que apanha gonorreia com gnus

Voz alta é fadista se olhares

L√° p'ra tr√°s tu "vais-te" lembrar da altura

Em que falavas do fulano

Tu "vais-me" ver na revista

De chinelo e calção e uma tshirtzita comprada ao zezito cigano

Anda papar do meu prato

Quando é peixe barrigudo

Sei que cantas de galo mas há quem te encurte a rédea

Sou meio despassarado se me vires nas altitudes

Estou a esquecer a altura em que o trajeto era tragédia

 

Gente pendurada mesmo presos por um fio

Pegam lume ao cordel

Mil e cem cegonhas sem vergonha a perguntar

Se o que eu fumo é bom mel

 

2x

 

J√° n√£o tinhas dedos p'ra contar

As rugas das caras que eu vi

Cheguei a guardar a força na gaveta

Mas nunca a perdi

Tu vês o olhar de quem quer sempre alcança

Quando olhas p'ra mim

Sinto que tens raiva

Sinto que tens

 

Tudo com o seu tempo vai

E tudo com o seu tempo cai

E tudo com o seu tempo vem

O meu bairro é fundamental

Nem tudo o que é mau vem por mal

Nem tudo o que é bom vem por bem

Se tu queres ver a dobrar, ent√£o entra no palacete

Limpa o pé no meu tapete e sê bem vindo à Jamaica

Sem carraça na orelha tu olha bem p'ro cachorro

Se eu vivesse na lua tinha likes da Laika

Boy acredites ou n√£o

Eu tenho a vista cegada mas n√£o duvides

Sei o brother que o meu bolso contém

Tu vês foguetes na serra

Se eu tenho a quinta cercada por indevidos

Lava a boca quando falas de alguém

E quem te leva p'ra m√° vida vai por caminho apertado

Sai de cana com fiança e tu ficas no caniçal

Em todo o bairro a regra n√ļmero 1 √© a palavra confian√ßa

Mas ninguém pendura os ténis no estendal

 

 

dillazcegonhas.png