Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MUSICPORTUGAL

APOIAMOS O TALENTO NACIONAL! 🇵🇹

30.05.20

MÚSICAS NOVAS DA VODAFONE FM: 29 DE MAIO DE 2020


Tiago Ferreira

 - Benjamim - Vias de Extinção

 - D'Alva - Só a Pensar

 - Filipe Karlsson - Bem Estar

 - André Henriques - Uma Casa na Praia

 - IDLES - Mr. Motivator

 - Cigarettes After Sex - You're All I Want

 - Monday - Convictions

 - Everything Everything - Arch Enemy

 - Arlo Parks - Black Dog

 - Fugly - Space Migrant

 - Bejaflor ft. Luís Severo - Naturalismo

 - KHRUANGBIN - So We Won't Forget

 - Desire - Escape

 - Dirty Projectors - Overlord

 - Nilufer Yanya - H34t Rises

 

Todas as músicas novas da rádio Vodafone FM em http://musicportugal.pt/tag/as+m%C3%BAsicas+novas+da+vodafone+fm.

 

61317192_10156739358019965_9176207961595314176_o.p

29.05.20

MÚSICA NOVA DO DIA I JOÃO CANEDO - À TUA ESPERA

«...foi dos temas que mais interesse foi despertando no público...»


Tiago Ferreira

Neste período de quarentena, em que o confinamento nos faz valorizar ainda mais a natureza, o João Canedo preparou um novo tema, "À Tua Espera", gravado ao ar livre.

A música "À Tua Espera" tem uma versão ao vivo com banda, apresentada pela primeira vez em 2018 na Casa da Música (Joao Canedo Trio - À Tua Espera | live @ Casa da Música 2018). Desta vez, no entanto, o João Canedo arranjou-a para guitarra solo com todas as percussões e artefactos que achou melhor o servirem. 

 

Sobre "À Tua Espera": Numa madrugada, o João gravou um pequeno vídeo que partilhou no Instagram, uma ideia, com uma quantidade de hashtags, e questionava-se se aquilo viria a tornar-se uma música ou não. Uma amiga de Vila Real viu o vídeo e escreveu-lhe que essa ideia já era música. Falaram do assunto e enquanto o João dizia que não era uma música, senão apenas uma ideia, ela respondia que aquela pequena ideia já estava a fluir e mostrou que aquele excerto já era música. Surpreendido e movido pela opinião da amiga em relação a algo que, para ele, era um produto não estruturado, desinteressante ainda, sem uma boa imagem ou som, propôs-lhe que ela desse título ao tema, estando empenhado em desenvolvê-lo. Ainda tardou em que ela o intitulasse, tendo feito questão de só entregar o nome ao João pessoalmente. O tema foi sendo trabalhado, até que passou a ter um "início, meio e fim" e começou a ser tocado ao vivo, com o título provisório de "Novo". Curiosamente foi dos temas que mais interesse foi despertando no público. Finalmente, passado algum tempo, e sem ter ouvido mais do que apenas aquele "rascunho" no Instagram, a sua amiga sugeriu-lhe "À Tua Espera". 

 

 

joaocanedo.png

 

29.05.20

DESCOBRE AQUI O NOVO ÁLBUM DE HOMENAGEM A JOSÉ AFONSO DE PEDRO JÓIA, "ZECA"

«A força das canções de José Afonso não se esgota nas suas palavras»


Tiago Ferreira

"Zeca" é o novo disco de Pedro Jóia, uma homenagem a José Afonso.

 

Nas palavras de Pedro Jóia, “Este disco é uma homenagem muito afectiva de um guitarrista português à dimensão que a obra musical de José Afonso tem na cultura popular nacional passados mais de trinta anos sobre o seu desaparecimento. A força das canções de José Afonso não se esgota nas suas palavras. A sua música é a um tempo simples, directa e de uma intensidade pungente. São aqui apresentadas versões para guitarra - o instrumento que Zeca usava para compor a sua música e para se acompanhar. Tenho ainda o privilégio de embarcar nesta viagem musical com o meu querido amigo e grande percussionista José Salgueiro.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"PEDRO JÓIA - ZECA"

Link digital: https://PedroJoiaZeca.lnk.to/FzHxIkhKPR

 

zeca_pedrojoia.png

29.05.20

SAIU FINALMENTE O NOVO ÁLBUM DOS POP DELL’ARTE. CHAMA-SE “TRANSGRESSIO GLOBAL” E PODES OUVI-LO AQUI!

Concerto de apresentação no Grande Auditório do CCB a 08 de outubro


Tiago Ferreira

O novo álbum dos Pop Dell’Arte, “Transgressio Global”, o primeiro da banda com selo Sony Music, saiu, finalmente.

 

Agendado inicialmente para março, o disco teve a sua edição adiada devido à pandemia do Covid 19, tendo o mesmo acontecido ao seu concerto de apresentação no Grande Auditório do CCB, entretanto reagendado para 8 de outubro.

 

Gravado e misturado entre 2017 e 2019, “Transgressio Global” conta ainda com outras vinte faixas, onde se visitam várias épocas históricas - como se o tempo se comprimisse num presente feito de vários tempos, explica João Peste - e se exploram várias sonoridades, mantendo sempre a identidade musical transgressiva dos Pop Dell’Arte. Assim, ao ouvi-lo, tanto é possível encontrar a poesia de Camões ou de Catulo, uma versão do clássico “El Derecho de Vivir en Paz” de Vitor Jara, bem como referências dispersas à mitologia greco-romana, ao panoptismo das sociedades de controlo contemporâneas, a Michel Foucalt, a Arvo Pärt, a Picasso, aos Sex Pistols ou aos Doors.

 

Para além de João Peste (voz), Paulo Monteiro (guitarra) e Zé Pedro Moura (baixo), o novo registo dos Pop Dell’Arte, “Transgressio Global”, conta com a estreia do baterista Ricardo Martins.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"TRANSGRESSIO GLOBAL"

Disponível em https://popdellartetransgressioglobal.lnk.to/o92VyVcEPR

 

popdellarte_novoalbum.png

29.05.20

MÚSICA NOVA DO DIA I ANA BACALHAU - MEMÓRIA

Primeiro cartão de visita do seu 2.º álbum a ser editado ainda este ano, sucessor de Nome Próprio


Tiago Ferreira

“Quem era/ Como era/ Somos só memória à espera de não ser esquecida”. Estes versos são retirados do novo e muito aguardado single de Ana Bacalhau e, mais do que nunca, estas palavras têm um grande impacto face ao contexto que todos vivemos.

 

A cantora lança o single “Memória”, primeiro cartão de visita do seu segundo álbum, sucessor de “Nome Próprio” (2017), a ser lançado ainda este ano.

 

Para este single, Ana Bacalhau decidiu pegar no telefone e desafiar João Direitinho, Guilherme Alface e Mário Monginho, membros dos ÁTOA, para escreverem esta canção. “Quando ouvi o primeiro rascunho, senti imediatamente que era aquilo de que andava à procura”, diz a cantora. A produção ficou a cargo de Twins (já trabalhou com Fernando Daniel, Murta, Dengaz, entre outros).

 

“Memória” é uma canção bastante emotiva. Fala de alguém que está à procura de si, perdido entre a memória do que foi e a incerteza do que virá a ser.

 

Sobre este novo single, Ana Bacalhau refere: “Revi-me na história que é contada. Estou numa fase de mudança pessoal, de crescimento, de desconhecimento e reconhecimento de quem sou, olhando para trás para me lembrar de quem fui, na certeza de que já não sou essa pessoa e querendo perceber em quem me estou a tornar.”

 

Apesar de ter sido escrita e gravada muito antes de tudo o que está a acontecer, “Memória” acaba por ser uma canção muito atual e que reflete os tempos de incerteza que muitos vivemos.

 

Ana Bacalhau deixa uma mensagem: “Um abraço a todos os que sofrem, por doença, por perda de um ente querido, por lutarem todos os dias para salvar as vidas de outros, colocando a sua em perigo, por fazerem chegar aos outros bens essenciais, arriscando-se, por terem perdido o seu meio de subsistência, a sua saúde, a sua alegria. Por se sentirem sós e perdidos. Um enorme abraço a todos.”

 

 

ANABACALHAU_MEMORIA.jpg

 

29.05.20

OUVE AQUI O NOVO ÁLBUM DA CUCA ROSETA, "AMÁLIA POR CUCA ROSETA"

"Lágrima", "Ai Mouraria", "Com que voz" são alguns dos temas presentes


Tiago Ferreira

A morte só mata quando deixamos. Enquanto celebrarmos a vida que a antecedeu, pode ser contrariada e menorizada. A vida enquanto percurso, enquanto afirmação, enquanto legado e enquanto força capaz de inspirar outros a fazerem o seu próprio caminho. De certa forma, é isso que está por detrás do disco “Amália por Cuca Roseta”. Mais do que uma homenagem de Cuca Roseta à maior voz do fado, trata-se sobretudo de um agradecimento pessoal a uma mulher e a uma obra que, desde o primeiro momento, se tornaram um alicerce fundamental para o seu crescimento artístico enquanto fadista.

 

Amália Rodrigues despediu-se do mundo a 6 de Outubro de 1999. Há 21 anos, portanto. Mas o seu génio é demasiado flagrante para que deixe de ser celebrado – e nunca será de mais lembrar uma obra que partiu do fado, virou o fado do avesso e convocou também outras músicas populares para o seu universo. É essa enorme vastidão de registos que Cuca Roseta leva também para o palco e para o estúdio, celebrando um reportório que só ao ser reinterpretado pode manter-se vivo e capaz de conquistar novos públicos.

 

Acontece que “Amália por Cuca Roseta” conta também a história de Cuca Roseta no fado. Ao entregar-se com uma espantosa e arrepiante emoção a clássicos absolutos como “Com que Voz", “Barco Negro”, “Lágrima” ou “Vagamundo” entre outros, Cuca Roseta refaz os passos que a trouxeram para esta música, desde a sua entrada no fado até ao momento presente. Porque havendo outros nomes imprescindíveis no seu percurso – como Lucília do Carmo, Alfredo Marceneiro ou Camané –, ao olhar para trás e ao tentar perceber como poderia partilhar o seu percurso com o público, Cuca não demorou a perceber que Amália e os temas que popularizou estavam presentes em cada esquina da sua vida e em cada degrau na descoberta da sua voz única no fado.

 

Os fados e as marchas de Amália estiveram sempre presentes no seu percurso. “Lágrima” é, há muito, um dos seus temas preferidos de sempre do reportório de Amália – não por acaso, construído por Carlos Gonçalves para o poema da própria Amália. E é também por isso que “Lágrima”, single deste disco, surge aqui num momento sublime em que caberá apenas ao piano de Ruben Alves servir de amparo ao canto cristalino da fadista.

 

“Amália por Cuca Roseta” agradece também o quanto estes temas de Amália foram marcantes em várias fases da vida de Cuca Roseta. Ou seja, mesmo não tendo saído da sua pena, são coordenadas fundamentais para ajudar a cantora a mapear aquilo que lhe aconteceu fora dos palcos. Voltar a cantá-los equivale a refazer esses passos pessoais e ver-se transportada para momentos como a infância, ao cantar a mesma “Marcha do Centenário” – presença constante na sua meninice –, mas também para os seus primeiros dias no Clube de Fado, a casa de Mário Pacheco, onde Cuca fez a sua aprendizagem fadista noite após noite, apresentando-se diante do público enquanto mostrava, pela primeira vez, a emoção que transportava consigo sempre que um fado tomava conta das suas emoções e encontrava o caminho até à sua boca.

 

Ao registar agora este reportório em estúdio, Cuca Roseta descobriu também o quanto tem este reportório tão vivo em si e o quanto os vários anos de intimidade do seu canto estas palavras é acompanhado pela construção das suas próprias memórias e vivências que lhes foi acoplando. São temas que, não sendo seus, fazem parte de si e passam, para quem, ouve uma verdade sobre a sua arte e sobre os seus sentimentos que não pode ser fingida. Tal como fazem parte de si as guitarras portuguesas de Mário Pacheco, Luís Guerreiro e Sandro Costa.

 

Ao celebrar o seu encontro com a obra de Amália, Cuca Roseta celebra também a vida e os seus encontros. Aqueles que, em cada momento, fazem de cada um de nós aquilo que somos. E a quem, muitas vezes, falta dizê-lo assim, com todas as letras: Obrigado, Amália. Para não esquecer nunca o porquê de estarmos aqui.

 

Ouve aqui o novo álbum da Cuca Roseta, "AMÁLIA POR CUCA ROSETA".

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"AMÁLIA POR CUCA ROSETA"

Link Digital: https://CucaRosetaAmaliaPorCuca.lnk.to/TIfy2NQXPR

 

cucaroseta_amália_novoálbum.png

29.05.20

NOISERV - POR ARRASTO [com letra]


Tiago Ferreira

Eu só tentei ver-me de pé

A forma incerta p´ra entender-me de cor

 

Em casa tudo sempre depois

A forma incerta acaba por encostar

 

Mas os carros passam de pé

As formas vencem de pé

 

Mas eu não

Mas eu não

Mas eu não

 

Agarro tudo o que vem por arrasto

e lentamente me calo só por estar

 

mas os vasos enchem de pé

as folhas morrem de pé

 

Mas eu não

Mas eu não

Mas eu não

 

Regresso sempre que me perco, assim aconteci

 

 

noiserv.jpg

29.05.20

WAZE - BALA [com letra]


Tiago Ferreira

[Intro]
Yeah, yeah
Uh, uh, uh, uh

[Verso 1]
Quando eu entro numa sala
Motherfuckers ficam a puxar da pala só p'ra tentar acertar
Ultimamente tenho andado só de preto
Porque da forma que mato tenho mesmo que andar de luto
Não quero falar da fama
Mas à pala dela eu apaguei a vela
Para poder ver o meu lado oculto
Rappers 'tão a tentar comparar carreiras
Mas eu só vejo calhaus a competir com diamante bem bruto
Visionário, eu vivo adiantado
'Tou pausado, em festas camuflado
Nenhum preço me deixa chocado
Sonhos 'tão-me a manter acordado
Contrato, contrato dá cash
O cash dá carro, o carro faz vrum
Fica calado, não cuspas no prato
Se eu cuspo no beat, carreira dá boom
Uh, superstar
Eu passo, eles querem cumprimentar
Já que toda a gente diz que vai matar meu brilho
Deixa pegar na pá, podes enterrar
Fake snake, não morde, hmm
Minha fam 'tá a bordo, hmm
Sou boss, concordo, hmm
Deixa-os falar de nós

 

Uh
'Tás a falar muito então, uh
Fuck a tua opinião, uh
'Tás a falar muito então, uh
Qual é o problema, se nos 'tás a ver a viver bem?
Qual é o problema, eu não vivo a vida de ninguém
Qual é o problema, se nos 'tás a ver a viver bem?
Qual é o problema?
Qual é o problema?
Qual é o problema?

[Verso 2]
Rala pros manos de São Paulo
Sempre que eu dropo é um estalo
Nave espacial na garagem
Milhares no meu bolso, é assim que eu te calo
Já são quatro anos no topo
Fica aborrecido, eu 'tou a ganhar calo
Concorrência não é topo
Última vez que os vi, 'tavam a descer no ralo
Velocidade aumentada, ligada tomada
Vestido com Gucci e com Prada
P'ra dentro da mala da Vuitton
Na boca da porra desses mini rappers
Que querem bater à pala do lazer
Eu vejo abelhas a saltar de flor em flor
Que vão panhar overdose de mel
Tu és 'tão broke
Que nem no papel, pedra ou tesoura te calha o papel

 

Uh
'Tás a falar muito então, uh
Fuck a tua opinião, uh
'Tás a falar muito então, uh
Qual é o problema, se nos 'tás a ver a viver bem?
Qual é o problema, eu não vivo a vida de ninguém
Qual é o problema, se nos 'tás a ver a viver bem?
Qual é o problema?
Qual é o problema?
Qual é o problema?

 

 

 

waze_bala.jpg

29.05.20

MÚSICA NOVA DO DIA I ANDRÉ VIAMONTE - AQUI

Foi criada onde o medo tenta predominar devido a um vírus que invadiu o nosso quotidiano.


Tiago Ferreira

André ViaMonte está de regresso com novo single em português.

 

"Aqui" foi feita em contexto onde o medo tenta predominar devido a um vírus que invadiu o nosso quotidiano. A cultura está em risco. As pessoas lutam por se manterem sanas e outras por sobreviver. Famílias não conseguem se despedir dos seus entes queridos. Vivemos de facto num momento lamentável e dramático... mas também de grande solidariedade e de compaixão.

 

O vídeo de "Aqui" foi o resultado de amor universal e de sincronicidade. Agora mais que nunca, apesar de distantes temos que estar mais "próximos". Na verdade, recebemos de diferentes pontos do mundo (quer de profissionais ou não), momentos gravados do dia que pudessem transmitir mensagens de carinho, afeição... O resultado foi uma mensagem Universal dizendo de uma forma imagética: "Estamos todos AQUI".

 

 

ANDREVIAMONTE_AQUI.jpg

 

29.05.20

FIRGUN - MANDRIÃO [com letra]


Tiago Ferreira

Escravos na praia

Cospem carvão

Incêndio ausente

De inflamação...

 

Se há vontade

Há confissão

Se estás confuso

É perturbação...

 

Então quem és?

Levanta os pés...

Mostra que cresce algo em ti!

 

Oh, seu Mandrião!

Vais mexer o corpo ou não?

Vais cair na ilusão

De latir pra ninguém?

Se eu fosse o teu pai

Se (eu) fosse (eu a / a) tua mãe

Encontrar-te-ia vontade

Pra seres vontade de alguém!

 

Noites em claro...

Se reparares, eu não paro...

Se respiras e desistes, insistes

Em dar um momento mais caro

 

Se for em ti a ausência

Dessa solene violência

De uma atacante imprudência

Em que varremos a trote a consciência...

 

E eu não sei,

Se só és teu...

E eu não sei,

Se não valeu...

E eu não sei,

Se já morreu...

Essa graça, desgraça

Que deu bem mais traça

A quem tanto enlaça

A farsa de quem venceu...

 

Oh, seu Mandrião!

Vais mexer o corpo ou não?

Vais cair na ilusão

De latir pra ninguém?

Se eu fosse o teu pai

Se (eu) fosse (eu a / a) tua mãe

Encontrar-te-ia vontade

Pra seres vontade de alguém!

 

 

firgun_mandrião.jpg

28.05.20

MUSICPORTUGAL NA GONDOMARFM - PROGRAMA N.º 64 [27-05-2020]

Fernando Daniel, Drain, Clã, Surfaces, Ariana Grande, GIANZ, Jesus or a Gun, The Weeknd, ...


Tiago Ferreira

Aqui encontras a tracklist e áudio completo do 64.º programa da MUSICPORTUGAL na GONDOMAR FM, emitido no dia 27 de maio de 2020. Estas foram as músicas que tocaram no programa:

 

- Fernando Daniel - Recomeçar
- Black Eyed Peas, Ozuna, J. Rey Soul - MAMACITA
- Sam Smith, Demi Lovato - I'm Ready
- Guy Proenza - À Deriva
- Agir - Alma
- Ashe - Moral of the Story
- James dos Reis - WHATEVER
- Tim - Lar
- Lady Gaga, Ariana Grande - Rain On Me
- Drain - A Love Song
- Light Gun Fire ft. The Black Mamba - Beautiful Lie
- Marshmello & Halsey - Be Kind
- MEESTRE - YOU
- GIANZ - Encontrar-te
- Surf Mesa ft. Emilee - ily (i love you baby)
- Pedro Abrunhosa com Carolina Deslandes - Tempestade
- Topic ft. A7S - Breaking Me
- Clã - Sinais
- Hailee Steinfeld - I Love You's
- Sia - Together (from the motion picture Music)
- Fugly - Space Migrant
- Vitão, AGIR - Mais Que Bom
- The Rolling Stones - Living In A Ghost Town
- Surfaces - Sunday Best
- Ariana Grande & Justin Bieber - Stuck with U
- Jesus or a Gun - Turn All the Lights On
- Trista - Neblina
- Twenty One Pilots - Level of Concern
- Miguel Gameiro - É Preciso
- The Weeknd feat. Doja Cat - In Your Eyes (Remix)
- Tiago Pinho & Friends - Vai Ficar Tudo Bem

 

Áudio do 64.º programa:

 

 

 

 

+ INFO sobre este incrível programa em http://bit.ly/musicportugalgondomarfm.

 

MUSICPORTUGAL ON AIR, TODAS AS QUARTAS, EM GONDOMARFM.PT!

 

"PODCAST MUSICPTGFM" - é a TAG criada para este programa. Vais poder encontrar todas as edições do programa e as tracklists em http://musicportugal.pt/tag/podcast+musicptgfm.

 

musicportugalgondomarfm64.png

27.05.20

MÚSICA NOVA DO DIA I YOLANDA SOARES, MIGUEL RAMOS - FADO PERMANENTE

Este novo single fala da saudade, da dor da ausência, da distância...


Tiago Ferreira

"Fado Permanente" é o título do novo tema original que a cantora crossover Yolanda Soares assina como autora juntamente com António Lopes Golçalves, o compositor, músico, arranjador e seu colega de alguns anos, que já fez parte dos seus antigos projectos, Musicbox Fado em Concerto de 2006 e Metamorphosis de 2010.

Yolanda Soares afirma que tem várias composições do músico na "gaveta", para as quais contribuiu com letras suas e até compondo a linha melódica tendo um prazer redobrado nesta tarefa, já que escrever e improvisar melodias é algo de bastante natural desde pequena e que pretende dar continuidade .

"Fado Permanente" fala da saudade, da dor da ausência, da distância, mas focando-se no seu lado mais belo e poético, onde essa condição de se estar em constante espera por algo que nunca vem, e em silêncio, se torna soberana e eterna, criando o Fado. O "Fado Permanente". 

É uma forma de estar na vida, diz Yolanda, e mesmo não sendo fadista de raiz, sente que esta forma de estar, foi e é a sua. Diz: "Desde pequena que espero algo que não vem, que está eternamente ausente. Tenho uma espécie de angústia constante. Mas uma angústia que, de certa forma, me dá algum prazer. Como se necessitasse disso para sentir, digamos que, a eternidade. Que há mais alguma coisa que me espera. Eu não sou fadista mas sinto-me uma "mulher do fado". Tenho momentos de total silêncio numa espera constante por algo. E sou assim desde pequena...". Há quem lhe chame inquietação. 

Para dar toda a alma do Fado que Yolanda Soares queria para este tema, convidou o magnífico fadista Miguel Ramos para se juntar a ela. "...A voz do Miguel neste tema novo , foi gravada há cerca de um ano, precisamente na minha casa. Era para ser apenas uma maquete pois não tenho nenhum estúdio. Mas acabei por utilizar esta gravação da voz dele, e seguir em frente com o que faltava pois agora estivemos impedidos de nos juntar para voltar a gravar....." dada a situação de pandemia.  

 

 

FADOPERMANENTE.jpg

 

27.05.20

MÚSICA NOVA DO DIA I MARIA JOÃO, OGRE ELECTRIC - ACUTE ANGLES

“Acute Angles” é o nome do single de avanço do novo álbum “Open your Mouth”


Tiago Ferreira

E se a Maria João fosse uma operária fabril nos anos 20 agarrada à rotina diária das linhas de montagem e ao preto e branco de uma vida monótona? Certamente as coisas não podem ficar assim muito tempo! 😄

 

"Acute Angles", vídeo inspirado do realizador Nuno Barbosa transporta-nos aos princípios da magia do cinema, às visões de um futuro eléctrico e relembra-nos o talento intemporal dos seus intérpretes: Quem consegue dizer que não a um Buster Keaton ou um Charlie Chaplin? E se misturássemos tudo? Venham ajudar-nos a pintar tudo de rosa e amarelo torrado.

 

Na sua terceira incursão pelo mundo da electrónica, Maria João encoraja-nos a abrir a boca para cantar, falar, amar e lutar pelo que acreditamos.

O OGRE caminha agora numa direcção mais urbana, com grooves mais orientados para o hip-hop, misturado com a alegria infantil da Maria João, numa viagem que nos leva a paisagens de sonho, florestas escuras e misteriosas, ritmos africanos, e mesmo ao interior das nossas mentes alucinadas! Explorar, nunca ficar no mesmo sítio, procurar sempre novas coisas - este será sempre o lema deste projecto, que por vezes é difícil de definir… mas também, quem é que precisa de rótulos? Para além da formação de base, que inclui João Farinha (teclados, sintetizadores, composição e produção) e André Nascimento nas feitiçarias electrónicas, o novo álbum conta ainda com o incrível baterista Silvan Strauss que nunca se esquece de partir a loiça toda e que é em parte responsável pela nova direcção sonora.

 

Maria João vai então editar um novo disco com o seu projecto OGRE para comemorar 10 anos de existência: "Open Your Mouth".

 

 

acuteangles.jpg

 

27.05.20

"VAI HAVER UM AMANHÃ", NOVO SINGLE DE MÁRCIO AMARO

Mais um tema produzido em casa, em período de confinamento.


Tiago Ferreira

Depois do single "Da Minha Varanda, Longe e Tão Perto", que podes ouvir no nosso site clicando aqui, Márcio Amaro está de regresso com "Vai Haver um Amanhã", mais um tema produzido em casa, em período de confinamento.

 

Sobre este novo single, Márcio Amaro diz que "Vai Haver um Amanhã" é um sinal de que estamos a caminhar para a normalidade, mas que não nos podemos esquecer de ser muito prudentes.

 

O videoclipe deste tema foi filmado a partir da sua varanda, a sua "estrada" nos últimos tempos.

 

 

márcio amaro.jpg

27.05.20

MÚSICA NOVA DO DIA I DUNKNOW - DESCONFORTO

De Angola para o mundo: grupo DUNKNOW lança single de apoio a todos os músicos


Tiago Ferreira

“Desconforto” é o novo single que marca a estreia do grupo DUNKNOW em Portugal.

 

O tema tem como mensagem principal uma palavra de força a todos os artistas do mundo da música, lembrando que, por mais desconfortável que o caminho pareça, o futuro recompensa sempre.

 

DUNKNOW é um grupo de Rappers criado em 2018, composto por seis elementos: Sizay, Deyyy Z, Aureo Ricardo, EpicOffWhite, Mr Royalty e 6ix1en. O coletivo angolano nasceu em homenagem a um grande amigo de infância que os membros do grupo tinham em comum, o Rony B.

 

Editado em 2019, “No No” foi o primeiro single do grupo e tornou-se um sucesso em Angola. Em Portugal, os DUNKNOW já colaboraram com o Dj/Produtor Mizzy Miles.

 

Os músicos assumem que Slow J, Prof Jam, Sam The Kid, Regula ou NGA são algumas das suas maiores influências.

 

O grupo tem como objetivo conquistar ainda mais o público português.

O novo single, "Desconforto", tem distribuição da Altafonte.

 

 

desconforto.jpg

 

Pág. 1/5