Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

MUSICPORTUGAL

APOIAMOS O TALENTO NACIONAL! 🇵🇹

24.07.18

Piruka - Vai (Prod. Khapo)


Tiago Ferreira

[Intro]
Madorna boy

[Verso 1]
Mothafucka, eu só vejo cobras
Vi que estava cá em cima
Quando os que via lá em cima
Começaram com manobras (fuck it)
Vê se anotas, tudo fala da minha vida
Hoje sou uma lenda viva a falar de lendas mortas
Por isso meu tropa, tu vê
Eu vejo que a vida anda meio complicada
Senti o que fiz
Brotha, parei o país quando lancei o "AClara"
A ferida não sara
Hoje tenho tudo, ya
Menos vergonha na cara
Sou vagabundo, vá
Venho do fundo do mundo, para mim não é nada
Eu quero é tudo, o que eu tenho é pouco
Quando era puto sentia o sufoco
Eu só via pó, na via só, o meu pai no Linhó
Saiu de lá louco
Se me chamam rei, quero o meu trono
O que era hobbie virou trabalho
Vejo muito rapper com dor de corno
E o Pirukinha com dor no car****** (nah, nah)
Que venha o bam bam
Não tem amanhã
Vivo o agora, e se eu não acordar amanhã
A minha mamã sobe onde a guita mora
Tu bota fé na vida
A vida é roda, bota fora
E eu ando às voltas na vida
Porque na vida o que vai, volta (mothafucka)


Eles dizem Pirukinha, vai, vai
Yau

[Refrão]
Eles dizem Pirukinha, vai, vai
Eu ando às voltas no mundo, sempre o mesmo vagabundo
Dizem Pirukinha, vai
Vai, vai
Com cara de vagabundo, vim para conquistar o mundo

E dizem Pirukinha, vai, vai
Eu ando às voltas no mundo, sempre o mesmo vagabundo
Dizem Pirukinha, vai
Vai, vai
Com cara de vagabundo, vim para conquistar o mundo

[Verso 2]
E como disse um sábio: "Fã que fodes é fã que perdes"
Mais velho diz haja mais Pirukinhas
Eu digo hajam mais Valetes
Agora 'tá na moda o rap
E, até a Clara já canta
E eu quero criar um império com o rap
Como o Escobar criou a vender branca
Há muito fantoche que quer montar a banca
Afirma-te à firma, tu afirma a banca
A dama confirma, é minha panca
E a fam afirma que a família tranca
Uns escrevem no céu, eu escrevo na varanda
E olha como o puto brilha
Com 25 uma vida santa
E já garanti o futuro da minha filha
Os pategos adoram os tirantes [?] adica e xiantes [?]
Tão ciganinho que anda o Pirukinha
Eu vendi na feira, hoje vendo o meu [som]
E a minha pedra e a minha pedrada
Não era nada, nada de novo
O filho da puta mais visto da tuga
Saiu da Madorna para a boca do povo
E hoje tudo aponta
Tropa, olha que os homens no game estão fracos
O meu conselho para esse bonecos
É cagarem no rap e fazerem reacts
Aqui o palhaço fica no buraco
Até há quem diga que sou chefe do circo
Enquanto uns pensam que sou o elo mais fraco
Sou o elo mais bravo, LL no cinto


Eles dizem Pirukinha, vai, vai
Yau

[Refrão]
E eles dizem Pirukinha, vai, vai
Eu ando às voltas no mundo, sempre o mesmo vagabundo
Dizem Pirukinha, vai
Vai, vai
Com cara de vagabundo, vim para conquistar o mundo

E dizem Pirukinha, vai, vai
Eu ando às voltas no mundo, sempre o mesmo vagabundo
Dizem Pirukinha, vai
Vai, vai
Com cara de vagabundo, vim para conquistar o mundo

[Outro]
E querias ser igual a mim
Mothafucka, não vais ser

[Refrão]
E eles dizem Pirukinha, vai, vai
Eu ando às voltas no mundo, sempre o mesmo vagabundo
Dizem Pirukinha, vai
Vai, vai
Com cara de vagabundo, vim para conquistar o mundo


E dizem Pirukinha, vai, vai
Eu ando às voltas no mundo, sempre o mesmo vagabundo
Dizem Pirukinha, vai
Vai, vai
Com cara de vagabundo, vim para conquistar o mundo

 

 

pirukavai.png