Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

MUSICPORTUGAL

APOIAMOS O TALENTO NACIONAL! 🇵🇹

19.06.20

"ROUGH AND ROWDY WAYS" É O NOVO ÁLBUM DO PRÉMIO NÓBEL DA LITERATURA, BOB DYLAN

É um álbum recheado de viagens líricas...


Tiago Ferreira

Saiu nesta sexta feira, 19 de junho, "Rough And Rowdy Ways", o 39.º álbum de estúdio de Bob Dylan que é editado 8 anos depois sem lançar músicas novas. Só para te recordares, o último álbum de Bob Dylan foi "Tempest", lançado em 2012.

 

O primeiro single deste novo trabalho, "Murder Most Foul", foi lançado de surpresa no final de março deste ano. Algumas semanas depois saiu "I Contain Multitudes" e mais tarde "False Prophet", três singles que nos deixaram muito a desejar por ouvir finalmente o grande regresso de Bob Dylan.

 

"Murder Most Foul" além de ter sido o single de estreia deste novo álbum é também o tema mais longo de "Rough And Rowdy Ways"... só por curiosidade, a versão física deste álbum conta com 2 CD's... o segundo CD só traz consigo "Murder Most Foul". É uma música tão especial que merece só um disco para si. Alguns críticos viram o lançamento deste single e o conteúdo da música diretamente relacionados à pandemia do COVID-19... será?

 

 

Este novo álbum pode-se já dizer que é um enorme sucesso! Para a revista Rolling Stone, "Rough And Rowdy Ways", entra diretamente para o 7.º lugar do "Rolling Stone's 50 Best Albums of 2020". No Metacritc recebeu uma classificação de 95/100 até à data da publicação deste artigo. 

 

Mas afinal, do que se fala em "Rough And Rowdy Ways"? Primeiro, é um álbum um pouco mais literário, que poderá ser motivado pelo prémio Nóbel da Literatura, as canções são longas, existem dezenas de referências a figuras históricas e da cultura como Anne Frank, Rolling Stones, Indiana Jones, Scorsese, Shakespeare, fala sobre morte e sobre a humanidade, recorre a situações religiosas, homenageia o cantor e guitarrista Jimmy Reed, recorre à história para falar sobre a Segunda Guerra Mundial, ... é um álbum recheado de viagens líricas.

 

Na opinião de um português, que é um enorme fã de Bob Dylan, Miguel Ângelo, vocalista dos Delfins, em declarações à Renascença, diz que "É, se calhar, um disco mais longo, com canções de 14 ou 16 minutos, por vezes. É um disco para ouvir e ler".

 

Estávamos a precisar de ouvir a voz de Bob Dylan. Tira 70:33 minutos do teu tempo para ouvires esta bela obra de arte. Disponível nas habituais plataformas digitais e para compra em formato físico, na FNAC Portugal, por exemplo.

 

 

bobdylan.png